cee-logo-faixa-920x90-alpha

Servidores do CEE/TO participam da campanha de mobilização em respeito à pessoa idosa

Tamanho da fonte:

Fonte: FNCEE

Imagem1

Os servidores do Conselho Estadual de Educação do Tocantins – CEE/TO abraçou a campanha do respeito à pessoa idosa promovida pela Secretaria da Educação, Juventude e Esportes – Seduc/TO.

Durante todo este mês, uma grande mobilização junto à sociedade civil e às redes sociais estará alertando para a necessidade de proteção à pessoa idosa. A campanha Mobiliza culminou com uma grande caminhada no dia 15 de junho, na avenida JK, em Palmas, data em que se comemora o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa.

Esta mobilização está acontecendo em todos os órgãos governamentais. A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República lançou no ano de 2014 o Manual de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa.

O documento trata da violência contra a pessoa idosa, em suas diversas manifestações de violação de direito humano fundamental, destacando a importância de se considerar que o envelhecimento da população brasileira é reflexo do aumento da expectativa de vida e que é importante saber também que o envelhecimento populacional não é só um fenômeno brasileiro. “Globalmente isso também está acontecendo: há uma estimativa das Nações Unidas de que, no momento presente, cerca de um milhão de pessoas cruza a barreira dos 60 anos de idade a cada mês no mundo. Na América Latina, entre 1980 e 2025, o aumento o que deverá ser de 217%. Mas nós brasileiros ganhamos dos nossos coirmãos, pois se comparamos os anos 1980 com 2025, o aumento será, no mínimo, da ordem de 412%, quando então o país deverá ter a 6ª maior população idosa do planeta, em termos absolutos. Por ano, mais 600.000 pessoas acima de 60 anos passam a fazer parte desse contingente.” Pág. 18

O envelhecimento humano é um fato social inegável na vida de todo ser humano, entretanto o abandono social e familiar dos velhos e velhas, sobretudo dos pobres e doentes é facilmente retratado nos asilos existentes, como é o caso do Abrigo João XXIII em Porto Nacional, uma referência no Tocantins.

As situações de violência contra a pessoa idosa podem ser visíveis ou invisíveis: as visíveis são as mortes e as lesões; as invisíveis são aquelas que ocorrem sem machucar o corpo, mas provocam sofrimento, desesperança, depressão e medo. A maioria dessas últimas é incontável.

A lei Nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso) declara que: Violência contra o idoso é qualquer ação ou omissão praticada em local público ou privado que lhe cause morte, dano ou sofrimento físico ou psicológico (Estatuto do Idoso, cap.IV, art.19, §1).

Infelizmente a capital do Tocantins tem a maior taxa de mortalidade de pessoas idosas por agressões em todo o país, conforme ilustra o gráfico abaixo, publicado no Manual.

Imagem2

Estudos vêm mostrando que na velhice, a pessoa vitimada por maus-tratos apresenta uma taxa de mortalidade muito mais alta do que os que não sofreram abuso. Por isso, é difícil separar a violência visível e que deixa marcas da que é invisível. O estudo também traz a violência estrutural que reúne os aspectos resultantes da desigualdade social, da penúria provocada pela pobreza e pela miséria e das discriminações que os desprovidos de bens materiais mais sentem, além dos abusos econômico-financeiros e patrimoniais e violências vividas no seio familiar cujo diagnóstico é bem mais difícil.

Faça parte você também dessa mobilização de respeito e amor à pessoa idosa, cuidando dos idosos de sua família e denunciando todo tipo de violência contra velhos e velhas que você conhece por meio do Disque Direitos Humanos. Juntos conseguiremos prevenir e proteger a pessoa

Imagem3

Imagem4

Acesse o Estatuto do Idoso

Conheça o Manual de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa

http://cidadaniaejustica.to.gov.br/noticia/2015/6/10/campanha-mobiliza-foca-prevencao-a-violencia-contra-a-pessoa-idosa-no-tocantins

 

Comentários (0)

500 caracteres restantes

Cancel or